AnjosdeÓrion

Generalidades físico-poético-filosóficas

Fé e Razão em Clemente de Alexandria e Orígenes [Fichamento]

Posted by Lilian Neves Mise em @2009

Fé e Razão em Clemente de Alexandria e Orígenes

Clemente

– Verbo pedagogo/médico de todos os homens, ensina com doçura, para trazer salvação pode usar de certa severidade. (cristãos possuem a fé, judeus possuíam a lei e os grego a razão que preparava para o cristianismo)
– Filosofia -> Negar a razão é não entender a importância da filosofia na história. Observa-se que em geral os filósofos são pessoas virtuosas, logo ela é boa. (os homens de maus hábitos não se interessam pela filosofia), a razão é luz divina. (combate a fé pela fé dos alexandrinos)
– Dois antigos testamentos (o de Moisés e a da filosofia) e o novo de Cristo. (providência tudo abrange)
– Todos cristãos são iguais (do neófito ao mas instruído) perante Deus a partir do momento em que recebem o batismo (não há aristocracia da salvação)
– Para Clemente não há meio termo entre o pagão e o cristão. O cristão verdadeiro é o verdadeiro gnóstico.(Concordância entre “pistis” e “gnose”)
– O Verbo ensina a conhecer a si próprio, já que desta forma se conhece Deus.(Homem imagem de Deus) – esses são os tesouros na alma que não podem ser perdidos. Essa é a felicidade. (querer conhecer Deus é o maior bem)
– Ao se voltar para a essa riqueza da alma as riquezas do mundos se tornam secundárias e indiferentes a salvação divina, o rico também pode se salvar conquanto não se torne escravo da riqueza. Clemente coloca que o que diferencia esse desapego das posses materiais cristã das dos pagãos é que a pagã deixa os bens materiais para se voltar a si mesmo, se fechando, enquanto a cristã busca abrir o ser para o amor de Deus. (a moderação é mais difícil que a abstinência)
– Sábio sabe lidar com a realidade prática (mundo), intelectual (homens), cristã (Deus)
– Depois de Cristo a filosofia é útil para encaminhar a fé e para quem está na fé, aprofundá-la e defende-la
– O fiel deve usar das ciências profanas no que elas lhe forem úteis para levar até a verdadeira filosofia que é a sabedoria cristã, e se deve manter a filosofia sob o julgo da teologia (Filosofia serva da Teologia)
– O critério para distinguir o que constitui a verdadeira filosofia é a fé. (as diversas escolas quebraram a unidade original da verdade
– Platão e Pitágoras seriam os mais próximos à verdadeira filosofia, estóicos possuíam uma teologia incorreta ao afirmar que Deus tem um corpo, mas possuiam ua moral boa, o epicurismo era hostil à sabedoria cristã pois se aproximava de um ateísmo e a volúpia.
– Batismo é o comprometimento com o verbo interior (deve ser feito conscientemente)

Orígenes

– Verbo pedagogo/médico
– Razão conduz ao monoteísmo
– Vê desacordos fundamentais mesmo entre os que crêem em Cristo (distingue entre verdades universalmente aceitas e as incertas que abrem espaço para especulação como a origem da alma)
– Escrituras (possuem sentido literal, histórico e espiritual). A obscuridade da letra nos convida à compreensão espiritual.
– Deus não pode fazer nada que seja contrário a razão e a si mesmo.
– bondade e justiça devem andar juntas (sua interpretação das escritura irá contra a dos gnósticos que vem no AT justiça sem bondade e no NT bondade sem justiça)
– É necessário uma elaboração acumulativa (FÉ + razão + sabedoria) (aristocracismo espiritual)
– Fiéis que desejam se aprofundar (cristão) e inimigos da fé, não possuem a verdade (heréticos, filósofos) Critica platao por cultuar vários deuses, não conseguir converter as pessoas
– Simples fiéis: sentido histórico, possuem fé equivale ao corpo, próximo ao sensível
– cristão perfeitos: sentido alegórico,possuem conhecimento gnose, equivale a alma, moral
– cristãos mais perfeitos ainda: sentido espiritual, contemplação superior (transcendente a letra e busca no espírito o sentido/mistica) , já dicernem na própria lei divina a beatitude vindora
– a raiz da palavra alma psykhé é frio, a alma seria um espírito resfriado em busca do calor e luz primitivos

Ambos
– Postura eclética diante da filosofia grega
– Fé é critério de seleção
– Amigo de Platão – inimigo de Epicuro; ética estóica, pitagórica
– Ensinavam a ler os gregos deixando de lado os ateus.

“Para mim, não tenho dúvida, Platão escreveu máximas de Fedro depois de as ter aprendido de certos autores hebreus ou mesmo, como se disse, depois de ter lido os discursos proféticos (…)”
Orígenes (Contra Celso VI)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: